Abate voltou a crescer em 2017, após dois anos de queda, aponta IBGE

width=1920

O abate de bovinos no Brasil cresceu 3,8% em 2017. Essa é uma das mais importantes informações da publicação Indicadores IBGE – Estatística da Produção Pecuária, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Segundo a instituição, no ano passado, 30,8 milhões de bovinos foram abatidos sob algum tipo de inspeção sanitária (federal, estadual ou municipal), com aumento de 1,1 milhão de cabeças em relação a 2016.  O crescimento foi bem-vindo, após dois anos de queda.

As fêmeas representaram 40,5% do total de bovinos abatidos em 2017. Foi o maior índice dos últimos três anos, indicando que a menor retenção de fêmeas contribuiu para o crescimento dos abates no país.

O Centro-Oeste mantém-se, com folga, na liderança em abate de bovinos. Juntos, Mato Grosso (16%), Mato Grosso do Sul (11%) e Goiás (10%) representaram 37% do abate total.

Em termos totais, em 2017, o Brasil produziu 7,7 milhões de toneladas de carcaças bovinas, de acordo com o IBGE. Esse desempenho representou alta de 4,3% sobre o ano anterior, com aumento da oferta superior a 300 mil toneladas.

Parte dessa oferta excedente foi absorvida pelas exportações de carne bovina em in natura, que atingiram 1,2 milhões de toneladas, crescimento de expressivos 12%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *